O Que Era Para Ser

Era para termos nos esbarrado naquela esquina, 
às 15hrs daquela tarde.
Era para eu estar com aquele garoto e você com aquele livro, o que eu te dei com uma dedicatória meio torta meio pela metade do pensamento (porem que você entendeu assim que leu).
Era para você me cumprimentar meio sem jeito.
Era para eu fingir que não ligava.
Era para seguirmos cada qual para um lado.
Era para uma semana depois você me ligar perguntando se eu não queria tomar aquele chopp de sempre, sabe como é... Colocar o papo em dia. E eu iria aceitar.
Era para você me perguntar sobre quem estava comigo e eu achar fofo o seu ciúme meio escondido, no final diria que não era ninguém importante. Porque realmente nunca foi.
Era para ficarmos em silêncio, apenas nos olhando, durante um tempo. E depois falaríamos das nossas histórias, dos bons e velhos tempos.
Era para você lembrar!
Era...
Mas você não estava naquela esquina, nunca mais tocou naquele livro (É doloroso demais ou apenas pouco importante?).
Você não ficou sem jeito, você não sabe para qual lado fui, não estava lá para ver.
Você simplesmente desistiu, jogou para cima, desapareceu.
Autoria: Nymeria
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)